História da Arte - Idade Moderna

Olá pessoal !!
Para sairmos da Idade Média e entrarmos na Idade Moderna seria indispensável assistir o filme: Giordano Bruno - (lançado em 1973). 
Giordano Bruno era um frade dominicano, filósofo, teólogo, astrônomo, foi professor de cosmologia na Universidade de Oxford e deixou mais de 30 obras escritas. Foi processado pela Inquisição Romana e condenado a morte na fogueira com acusações como:
  • sustentar opiniões contrárias à fé católica e contestar seus ministros;
  • sustentar opiniões contrárias à fé católica sobre a Trindade, a divindade de Cristo e a encarnação;
  • sustentar opiniões contrárias à fé católica sobre Jesus como Cristo;
  • sustentar opiniões contrárias à fé católica sobre a virgindade de Maria, mãe de Jesus;
  • sustentar opiniões contrárias à fé católica tanto sobre a Transubstanciação quanto a Missa;
  • reivindicar a existência de uma pluralidade de mundos e suas eternidades;
  • acreditar em metempsicose e na transmigração da alma humana em brutos, e;
  • envolvimento com magia e adivinhação.
(Fonte:  Luigi Firpo, Il processo di Giordano Bruno, 1993.)
Para conhecer um pouco mais sobre Giordano Bruno...



“Existem inúmeros sois, em torno a estes giram inúmeras terras”
“ Nenhuma das religiões existentes é boa porque, todas, em alguma medida, são um instrumento de poder e empurram aos seres humanos as guerras fratricidas e lutas sangrentas”  
GIORDANO BRUNO

Muito bem, mas, voltando ao Renascimento... O que o Giordano tem a ver com tudo isso?? Sintetizo:
Entre 1400 a 1600...O mundo parecia cansado das imposições cristãs formatadas, fortalecidas e amplamente reproduzidas durante a idade média e que culminaram em ações nada condizentes com o que pregara o próprio Cristo. Ações como “santa inquisição” que levava hereges a serem queimados em fogueiras publicamente, venda de indulgências (terreno no céu) e tanta incoerência e incongruência entre o que era pregado e feito que poucos arriscavam falar o que pensavam... muitos morreram queimados, inclusive Giordano Bruno, ex-padre que caminhava contra todo domínio cristão (clero) por enxergar que havia muito derramamento de sangue em nome de uma religião que pregava a PAZ. 
Apesar de sua morte cruel, suas ideias permaneceram e outros estudiosos como Galileu, Copérnico, deram continuidade a esses pensamentos e aos poucos foram trazendo o homem de volta ao centro do universo (ANTROPOCENTRISMO). 


Logo, surge o desejo de rever os ensinamentos gregos [eis o motivo da palavra RENASCIMENTO:  redescoberta e revalorização das referências culturais da antiguidade clássica]. 

Os escritos de Platão, Aristóteles, Sócrates, leituras proibidas na era medieval começaram a explodir e o surgimento da IMPRENSA colaborou amplamente para a divulgação desses escritos. Alegoricamente falando, o que antes era manuscrito e tinha 2 cópias passa a ser impresso com 200 cópias. Isso ajudou na difusão dos ideais renascentistas que buscavam um retorno à antiguidade clássica, ao uso da razão, a liberdade de pensamento e crença principalmente naquilo que se pode provar: olha aí o CIENTIFICISMO. Pesquisadores mergulham nesse mundo de descobertas e invenções. 


Mas a Igreja não fica atrás... cria as universidades para manter os cientistas presos à ela. Paga aos artistas para continuarem pintando para ela, inclusive foi nesse momento em que Michelangelo pinta a face de Deus na capela Sistina e nesse momento também que Jesus fica lindo louro de olhos azuis...hahaha (imaginação narcisista dos artistas europeus). Ou seja, a Igreja vai se adaptando ao novo mundo que surge, denominado IDADE MODERNA.



Bom gente, o tema é gigantesco e considerando o tamanho das contribuições que o Renascimento proporcionou no sentido de impulsionar o mundo para o futuro seria necessário um ano inteiro de aula... As primeiras máquinas voadoras, meios de transporte, máquinas para fabricação de objetos dando início à industrialização, sistemas de navegação mais potentes, que favoreceram as grandes navegações (tomaram posse de nossas terras em 1500, pleno renascimento)... em suma, todos os aspectos do conhecimento tiveram seu momento de iluminação.


" Neste período foram inventados diversos instrumentos científicos, e foram descobertas diversas leis naturais e objetos físicos antes desconhecidos; a própria face do planeta se modificou nos mapas depois dos descobrimentos das grandes navegações, levando consigo a física, a matemática, a medicina, a astronomia, a filosofia, a engenharia, a filologia e vários outros ramos do saber a um nível de complexidade, eficiência e exatidão sem precedentes, cada qual contribuindo para um crescimento exponencial do conhecimento total, o que levou a se conceber a história da humanidade como uma expansão contínua e sempre para melhor. ( Herbert Weisinger - Renascença, literatura e historiografia).

Mas para a ARTE, algumas coisas foram mais importantes:

  1. o aprimoramento da perspectiva
  2. a invenção da tinta à óleo e a TELA,
  3. a representação da realidade tal qual nunca haviam visto. 
  4. O desenvolvimento da técnica de sombreamento (sfummatto / chiaroscuro) foi umas das grandes sacadas.
  5.  A inserção das figuras em triângulos e retângulos áureos, buscando os limites da perfeição. 
No slide abaixo poderão ter uma "pálida" noção, por meio das imagens e algumas considerações importantes sobre o período.








Você sabia que a Monalisa só ficou famosa após um roubo da obra? confira o link: O roubo da monalisa



BARROCO
 

Por fim… o cansaço da perfeição renascentista estimulou o surgimento de um estilo artístico que floresceu entre o final do século XVI e meados do século XVII: o Barroco. O nome define bem o movimento já que significa: " pérola irregular ". Certamente foi uma nominação pejorativa dada pelos renascentistas que priorizavam a perfeição.

O estilo tem seu início na Itália, em função da necessidade do clero em trazer de volta para a igreja católica seus fiéis que já migravam para o protestantismo de Lutero e Calvino. É fácil deduzir que assim como Giordano Bruno, outros membros do clero como Lutero se revoltaram contra a Igreja da época  e buscaram novos caminhos, mas isso é assunto para outras áreas de conhecimento tratar. Voltando a produção artística, o barroco surge a partir de dois pontos cruciais

1- Contra reforma - Após o Concilio de Trento, um dos mecanismos da igreja para atrair novamente os fiéis foi criar uma atmosfera de encantamento e exuberância. Usou e abusou do exagero, do dourado, do movimento, das fortes expressões.

2 - A crise existencial. A dúvida que permeava entre acreditar na razão humana trazida pelos renascentistas ou permanecer na fé cristã tão enraizada desde os tempos medievais? A dualidade ditou as produções artísticas e literárias. Vida e morte, céu e inferno, sentimentos opostos caminhando lado a lado.  Daí surgiu todas as ambiguidades possíveis. Resumindo em imagem: Claro X Escuro.

Essas também serão demonstradas no slide.

 


Segue também como sugestão um filme excelente para compreender o contexto social do Barroco, características, temática e um pouco do que era a vida do artista na época. (no caso, o Vemeer:)

 Moça com Brinco de Pérola (2003)




 Importante destacar também o desenvolvimento da música nesse período:
" Nessa época foi estruturada a tonalidade, que é um sistema de organização hierárquica baseadas nas notas musicais (dó ré mi fá sol lá si). Essa organizacão permitiu o desenvolvimento da harmonia, que é a relação de acordes (notas simultâneas), também relacionados com a tônica.
Também foi o período em que a escrita musical se expandiu e formalizaram-se os padrões básicos da partitura moderna.
A música vocal e a instrumental ampliaram-se, e foram criadas e desenvolvidas novas técnicas. Foram inventados o concerto e a sinfonia, duas das formas mais utilizadas na música instrumental. (...)
Na música Barroca, assim como nas outras artes da época, os ornamentos são os elementos mais comuns. A ornamentação na música se manifesta na forma de notas rápidas que se sucedem ao redor das notas principais das melodias.
Muitas dessas técnicas formam parte da intenção de aumentar a impressão de dramaticidade, assim como as ideias de que determinadas formas podem influenciar os sentimentos dos ouvintes."
(Fragmento do livro Arte e Interação - Bozzano, Frenda e Gusmão - 2013)

Conheçam alguns compositores e suas belíssimas composições:


 

Então meus caros!

Essa foi a forma que encontrei de sinteticamente apresentar os dois principais movimentos que influenciaram totalmente a produção da Arte Brasileira, sendo trazidos durante a colonização. Lembrando que houveram outros movimentos paralelos  entre um período e outro. Maneirismo, depois do renascimento, rococó depois do Barroco, além do  realismo, romantismo, neoclassicismo... 
Veja o slide:

 

A chegarmos na invenção da fotografia em 1870 , período em que o artista "entra em depressão" e se pergunta: e agora? O que faremos se essa tal máquina faz imagens melhores e mais rapidamente que nós?

Esse link te responderá:
Impressionismo

Saudações Artísticas!!

Carla Camuso

Nenhum comentário:

Postar um comentário