História da Arte - Idade Média

Fig. 1 (Imperador Justiniano)
OLÁ PESSOAL!
Entrando em uma nova era para as artes... A era MEDIEVAL.

Só uma palavra pode resumir o que foi a Arte na Idade Média: CRISTIANISMO.

Tudo muito simples e lógico em 10 passos, acompanhem: 

1. A política do Império Romano, no final da idade antiga, gerou descontentamento já que o império era gigante e todos os impostos coletados eram empregados apenas em Roma.
2. A cidade encheu de gente em busca de oportunidades, aumentando a pobreza e a escravidão.
3. As províncias e suas vilas se rebelavam e invadiam continuamente o império já fragilizado em função do desmando dos imperadores que se sucediam com pouco preparo administrativo.
4. O cristianismo (um misto de seita dos essênios que já existia até mesmo antes do próprio Cristo com o nome “Messianismo”) unido aos escritos dos judeus sobre Jesus 70 anos depois da sua morte), foi ganhando força porque acreditavam que viria alguém para libertá-los do imperialismo romano, especialmente pobres e escravos. Por um tempo foram perseguidos, por isso se reuniam dentro de catacumbas. Posteriormente, com o número crescente de adeptos, percebe-se que não podiam mais ser ignorados...Aos poucos, os ricos se aliaram pois a doutrina pregava também a liberdade e igualdade.
5. Para manutenção do poder, politicamente era melhor adotar o Cristianismo como religião oficial, assim mantinham o povo sob controle. No ano 313, o Imperador Constantino institui a tolerância religiosa que significou o fim da perseguição contra os cristãos.
6. Posteriormente Constantino  muda a capital do império Romano para Bizâncio, (virou Constantinopla na época e atualmente é Istambul - Turquia),  para que a capital ficasse fora de alcance dos revoltosos que já invadiam Roma.
7. Em 391 a religião é oficializada pelo imperador Teodósio e a partir de então,  os pagãos é que seriam perseguidos.
8. E tudo volta a ser como nos tempos dos Faraós na antigo Egito, o imperador se estabelecia como o intermediário de Deus na terra,  só que agora com uma ideologia que pregava um deus único, salvador.
9. E tornou-se obrigatório o culto a Jesus / Deus / imperador, levando o povo aos templos – agora igrejas, para aprender a palavra do antigo e novo testamento.
10. O povo era analfabeto. Como fazer para eles compreenderem e vivenciarem as histórias bíblicas??????  Eis que surge a ARTE MEDIEVAL.

Acabou-se a liberdade tão racionalmente desenvolvida pelos gregos, instaura-se o medo do castigo de Deus e o povo se deixa dominar tranquilamente, fielmente, acreditando ser a melhor coisa para eles. Abandonaram o riso, condenaram o prazer, destruíram as manifestações artísticas pagãs (principalmente as estátuas gregas), negaram o conhecimento racional...por isso por muito tempo ficou conhecido como Idade das Trevas. Mas culturalmente falando, houveram avanços técnicos significativos, especialmente na arquitetura.

A seguir, detalharei os estilos difundidos durante esse período:

ARTE BIZANTINA 

Foi o primeiro estilo da Idade Média (a partir do ano 313 com apogeu em 500).
Objetivamente falando, a temática era puramente cristã e alguns momentos do imperador que era considerado divino, inclusive em sua representação tinha que constar a auréola (ver fig. 01).
Era uma verdadeira catequese.
Fig. 2 - Jesus (Mosaico) Em toda imagem de Jesus era obrigatória a auréola com uma cruz atrás. Assim as pessoas identificavam-no. A mão nessa posição significa sabedoria e tanto a auréola como a mão foi inspirado (copiado) do Budismo em que o Buda era representado com uma auréola por ser iluminado e com a mão indicando que estava ensinando.
Técnicas: 
  • Mosaico (pequenas pedrinhas coloridas)
  • Afrescos (pintura sobre a parede com massa de gesso fresca)
  • Têmperas sobre madeira(tinta a base de goma ou ovo e pigmento)
  • Fig. 3 - Ícone Bizantino feito em madeira.
  • Encáustica (pintura com cera e pigmento)
Características:
  • Excesso de dourado
  • Presença de auréola nas figuras
  • Olhar triste e complacente.
  • Temas cristãos  



Arte bizantina from Carla Camuso


 ARTE ROMÂNICA


A Arte Bizantina floresceu e resplandeceu no Imperío Romano do oriente (Constantinopla). Enquanto isso, o lado ocidental encabeçado por Roma, também acompanha o ritmo desenfreado do cristianismo e  sob o regime papal, também passam a construir seus próprios templos (igrejas). Esse desenvolvimento arquitetônico possuía peculiaridades, que vocês verão mais adiante. Assim,  entre o século XI ao século XIII observa-se o desenvolvimento de novas técnicas construtivas tipicamente romanas, o que mais tarde levaria as pessoas a chamar essa era de "românica". Assim como nas construções romanas, a ROMÂNICA também é marcada pelo uso de arcos e abóbadas para sustentar o teto de pedra que substituiu o de madeira. 


Edifícios pesados e baixos, paredes grossas, poucas janelas, simbolicamente representavam a fortaleza de Deus. Pouca decoração, um ou outro alto relevo, são uma das características que podem ser bem visualizadas no filme " O nome da Rosa"
Os castelos medievais  também fazem parte do estilo românico.
Informações mais detalhadas seguirão no slide e vídeo abaixo.


       
 


   A Arte Românica -- Rota do Românico

Trailer do filme "O nome da Rosa"


ARTE GÓTICA

Se fizéssemos uma pesquisa com a população em geral sobre qual a primeira coisa que vem a cabeça quando se fala o termo "gótico", as pessoas responderiam coisas como: melancolia, obscuridão, tristeza, sinistro... e por aí vai. Entretanto, cabe aqui frisar  que estas correlações não se aplicam ao estilo artístico e arquitetônico da era medieval.
Esse nome é originário da palavra GODO – povos bárbaros que se defendiam contra os soldados romanos e se rebelavam... invadiam Roma para reclamar seus direitos, ou seja, eles não são tão os "mauzinhos da história" embora tenham ganhado todo o sentido pejorativo possível.
Mas voltando ao que interessa, na realidade, nas Artes esse nome foi dado uns 200 anos depois do ocorrido, por um crítico de arte italiano, por que era um estilo diferente das produções bizantinas e românicas e foi desenvolvido na França (antiga província dos godos, visigodos)
O Estilo gótico nas artes, ao contrário representou LUMINOSIDADE... a entrada da luz nas catedrais. Ainda continuamos com a temática cristã, da mesma forma, 500 anos depois do auge bizantino. O estilo foi desenvolvido a partir de 1100. E sua característica principal é o aumento estrondoso da altura das construções das Igrejas – as Catedrais.
E como se deu esse “encompridamento”? Por meio de estruturas chamadas arcobotantes, que seguravam as paredes com arcos ogivais. Abriram-se mais janelas e diminuiu-se o peso das paredes. E as janelas cobertas de vidro, traziam a luminosidade para o interior. Mas se tinha tanta janela, como continuar colocando as histórias bíblicas para o povo… que continuava analfabeto? (rsrs)

Por meio desses maravilhosos vitrais


  • ALTURA (para o cidadão se sentir conectado com os céus)
  • ARCOS OGIVAIS
  • VITRAIS
  • Temática cristã e algumas cenas no cotidiano burguês
  • Presença de GÁRGULAS que são tipo calhas para escoar água e apresentavam figuras animalescas simbolicamente para mostrar aos fiéis que o mal nunca dorme
  • RENDILHADO - feitos de cimento, por inspiração do oriente médio. 
  • ESCULTURAS ligadas às paredes.
  • ABÓBADAS de ARESTAS nos interiores para sustentação do teto  


Arte gótica from Carla Camuso

        O documentário acima ajuda a compreender o que foi as magníficas contruções góticas
Dessa forma a Arte Gótica tem características muito claras e qualquer um poderá identificá-las facilmente:

2 comentários: